Mato Grosso vai ter a sua 1º ferrovia estadual

 Projeto iniciado há 61 anos, a conexão de Cuiabá ao Sudeste brasileiro por meio de trilhos ganha impulso com o lançamento de edital de chamamento público para a construção da 1ª ferrovia estadual em Mato Grosso. Para sair do papel, o projeto depende de aporte privado de R$ 12 bilhões. Até o momento, há apenas uma empresa interessada no novo traçado ferroviário, a Rumo Logística, que detém a concessão dos trilhos entre Rondonópolis e o porto de Santos (SP).  

 

Segundo o governo de Mato Grosso, outros investidores podem apresentar propostas no prazo limite de 45 dias após a publicação do edital. A nova linha férrea irá interligar Rondonópolis a Cuiabá e, em seguida, a Capital mato-grossense a Lucas do Rio Verde, município situado no médio norte do Estado, principal região produtora de grãos.  

 

A extensão dos trilhos de Rondonópolis a Cuiabá e a Lucas do Rio Verde é um investimento que havia sido cogitado pela Rumo Logística, mediante a prorrogação de sua concessão da malha ferroviária paulista, que venceria em 2028. Esse aditivo contratual foi assinado entre a empresa e a Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) em 28 de março de 2020, sendo prorrogado por mais 30 anos. Na época, o projeto de ampliação da Malha Norte, com extensão dos trilhos de Rondonópolis ao médio norte-matogrossense, foi estimado em R$ 6 bilhões. A diferença no aporte previsto decorre do traçado férreo e reajuste dos insumos, esclarece o presidente do Fórum Pró-Ferrovia em Cuiabá e secretário municipal de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Francisco Vuolo.  

 

Para ser habilitada no chamamento público, a empresa interessada na construção da ferrovia estadual terá que comprovar que possui capacidade econômico financeira para execução, com capital social e patrimônio líquido de no mínimo 10% do valor do projeto (R$ 1,2 bilhão). Se depender de recursos de terceiros, a interessada deverá demonstrar capacidade de financiamento, mediante carta de instituição financeira de 1ª linha.  

 

Em seu relatório de resultados do 4º trimestre de 2020, a Rumo Logística informa lucro líquido de R$ 305 milhões, 61,2% abaixo dos R$ 786 milhões informados para o mesmo período de 2019. De acordo com o governador Mauro Mendes (DEM), o cronograma prevê o início da obra 6 meses após emissão da licença ambiental de instalação (LI). No 2º segundo semestre de 2025 deve ser concluído o trecho ferroviário até Cuiabá. O 2º ramal ferroviário até Lucas do Rio Verde será concluído no 2º semestre de 2028. A empresa vencedora terá prazo de 45 anos para operacionalização da ferrovia.

Fonte: Gazeta Digital