Diretoria da Rumo confirma para governador projeto expandindo ferrovia a Nova Mutum e Lucas

 A diretoria da Rumo (antiga ALL), concessionária responsável pela ferrovia em Mato Grosso, se reuniu com o governador Mauro Mendes, ontem à tarde, no Palácio Paiaguás, e confirmou que o Estado será beneficiado diretamente com aumento o no investimento e expansão da malha, assim que for autorizada a renovação da malha paulista usada para escoamento de grãos até porto em Santos e transporte para Mato Grosso de combustível e outros produtos.

A Malha Paulista é a concessionária que administra a malha ferroviária em São Paulo e o contrato acaba em 2028. A concessionária tenta a renovação antecipada do contrato por mais 30 anos. “Se fechar essa renovação, nós teremos muitas coisas boas para Mato Grosso”, destacou o diretor da Rumo, Guilherme Penin e a previsão da empresa é, para os próximos 5 anos, com a renovação da “Malha Paulista”, investir R$ 15 bilhões com ampliação e melhorias na malha ferroviária.

Parte desse investimento, segundo o diretor, será destinado para o Estado de Mato Grosso. O planejamento da empresa é de levar os trilhos da ferrovia para as cidades de Cuiabá, Lucas do Rio Verde e Nova Mutum (dois grandes produtores de soja e milho na região Norte). Ao todo, o projeto prevê a construção de três novos terminais para o transporte da produção agrícola e industrial. O primeiro passo é levar os trilhos de Rondonópolis a Cuiabá e depois até Mutum (extensão de 250 km mas com traçado que pode ser inferior). A ferrovia agiliza o escoamento da produção e reduzirá o custo de transporte.

Os diretores atualizaram o governador de todo o trabalho em andamento, pois Mauro Mendes tem lutado em Brasília pela renovação da Malha Paulista. “Essa é uma defesa de Mato Grosso, pela nossa competitividade nos mercados internacionais, já que a ferrovia escoa a nossa produção até o porto de Santos”, ressaltou.

O governador já participou na capital federal de três reuniões nas quais foram debatidas a importância da renovação. Inclusive, uma das reuniões foi com o relator do processo no Tribunal de Contas da União, ministro Augusto Nardes. “Essa antecipação da prorrogação dá segurança jurídica para que a concessionária possa investir nas nossas ferrovias, trazendo os trilhos até a nossa Capital e também para as cidades de Lucas do Rio Verde e Nova Mutum”, disse.

A informação é da secretaria adjunta de Comunicação.

Só Notícias (foto: Tchelo Figueiredo)